close

Segurança do Exame Nacional do Ensino Médio terá coleta de digitais e fiscalização de lanche

No fim de semana dos dias 5 e 6 de novembro, mais de 8,6 milhões de candidatos farão o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em mais de 1,7 mil cidades. A segurança de um exame desse porte contará pela primeira vez com coleta de dado biométrico dos participantes, além disso, até mesmo os lanches dos candidatos serão vistoriados.

Neta semana, o MEC detalhou em entrevista à imprensa a logística do exame. Serão impressas 18 milhões de provas, que estarão em 77 mil malotes com lacres eletrônicos que registram o momento exato em que foram abertos.

No Enem de 2016, haverá a coleta de impressões digitais dos participantes. “Isso irá se traduzir em maior segurança. A Polícia Federal tem um banco de digitais e poderá conferir se o participante é quem afirma ser e não outra pessoa”, explica a presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Maria Inês Fini. A coleta será feita no dia do exame e, caso haja suspeita, a conferência será depois pela Polícia Federal.

O esquema de segurança conta ainda com detectores de metais e envelopes porta-objetos, onde os candidatos deverão colocar objetos como celulares, objetos eletrônicos e outros que possam comprometer a lisura das provas. O envelope deve ser lacrado e colocado embaixo da carteira. Candidatos que postarem fotos ou mensagens dentro dos locais de prova serão desclassificados.

Maria Inês disse que os estudantes poderão levar lanches e que estes serão também vistoriados. A caneta usada deve ser de tinta preta em material transparente.

No total, 655,5 mil pessoas trabalharão no Enem, entre coordenadores, chefes de sala, fiscais de apoio, agentes de segurança pública, funcionários dos Correios, entre outros. O Enem custará este ano R$ 90 por participante.

Redação do Enem

Responsável por metade da nota geral do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), a redação do Enem é uma das principais preocupações dos estudantes. Escrever de acordo com o tema proposto, observando a forma textual exigida, e ainda defender um ponto de vista, são alguns dos requisitos exigidos na prova.

Aluna nota mil na redação do Enem de 2014, Gabriela Costa, 20 anos, reconhece que ler e escrever são essenciais para ter contato com a língua e dominar a pontuação, a ortografia e a acentuação. Mas ela afirma que não adianta estudar o ano inteiro e travar na prova por conta do medo, do nervosismo ou da ansiedade. “Já vi muita gente boa tirar notas baixas por conta do nervosismo. No dia que for fazer a prova, tenta comer sua comida preferida, relaxar e ir tranquilo”, aconselha Gabriela, que hoje cursa o terceiro semestre de geografia na Universidade Federal da Bahia (UFB).

A jovem nos conta ainda uma técnica que aprendeu com uma professora de redação: ler a proposta da redação antes de olhar o resto da prova. “Assim, quando vou fazer a redação, já estou com o tema internalizado, e não fico na correria para acabar logo para fazer o resto da prova”, explica. Outra dica da estudante é fazer um rascunho com o planejamento do texto, incluindo introdução, desenvolvimento e conclusão. Continue lendo…

Tags : Provas Enem
Redação

Autor (a) Redação

Aqui no vocênoenem você encontrará respostas para as dúvidas mais frequentes dos candidatos sobre o ENEM, ficando por dentro de todos os detalhes.

guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Exibir todos os comentários